EDP Vilar de Mouros 2019

NITZER EBB


23/08/2019

Nitzer Ebb

Industrial Complex, trabalho de 2009, coloca os Nitzer Ebb de Bon Harris e Douglas McCarthy do lado de cá deste milénio, feito extraordinário se pensarmos que o grupo deu os primeiros passos em 1983, apresentando à época um som claramente informado pelo post-punk, sobretudo por bandas como Killing Joke ou Bauhaus.

 

No entanto, os Nitzer Ebb haveriam de ficar conhecidos como um dos expoentes máximos da Electronic Body Music ou EBM, uma corrente que pegava nalguma da atitude herdada do punk, na influência das mais radicais experiências conduzidas no seio da música industrial e até nas nascentes correntes techno e house que chegavam do lado de lá do oceano Atlântico para criar uma mescla hardcore de música para as pistas de dança mais sombrias.

 

Ligados à prestigiada Mute logo em 1987 (a mesma editora dos Depeche Mode, por exemplo), os Nitzer Ebb lançaram trabalhos de sucesso como Belief e Showtime ou ainda Ebbhead encarados pelos fãs de eletrónica mais radical como verdadeiros marcos históricos. O grupo cessou atividades em meados dos anos 90, mas regressou aos palcos e aos estúdios em 2007, recuperando a sua atitude radical de não compromisso em novos trabalhos que mereceram o aplauso da crítica, incluindo Join In The Rhythm of Machines, em 2011, ano em que passaram em Portugal pela primeira e última vez. Este regresso surge na senda de um novo fluxo de atividade, com Bon Harris e Douglas McCarthy a recrutarem para o palco os músicos David Gooday e Simon Granjer dos Stark. Oportunidade imperdível para se testemunhar ao vivo o poder de um dos grupos que revolucionou o universo da eletrónica.